E por aqui....

Esse blog começou com o Vida Verde de Uma Família Colorida, que acabou.
Agora com uma nova abordagem, mais liberdade e os mesmos assuntos: maternidade, filhos, consciência, ecologia.
Ah, e claro, os mesmos motivos: pelo futuro dos meus filhos. E dos seus. E dos outros.

Eu sou a Thais, mãe da Melissa (7 anos), do João (5 anos) e do Zé (3 anos), casada com o Bhuda, morando na Nova Zelândia!
Ocorreu um erro neste gadget

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A verdade sobre o aquecimento global

A Rosana comentou nesse post sobre esse documentário.


O vídeo está dividido em 6 partes. Juntando tudo, dá menos de uma hora.

Sinceramente, achei tão...... sensacionalista....
Juro que esperava mais.

OK, antes de ver o vídeo, também li vários artigos sobre o assunto.

Eu não sou especialista em nada disso. Eu leio o que eu posso, o que eu consigo. Eu tiro as minhas conclusões que, claro, podem estar 100% erradas.

Primeiro vou dizer porque não gostei do vídeo.
- Porque, desculpem, mas a pobreza do mundo não foi causada pelo movimento verde. A pobreza existe desde muito, muito antes.
- A energia solar é cara no modelo comercial. Existe, sim, energia solar acessível. E, exatamente por se tratar de países pobres, EU acho que a implementação da energia deva ser uma energia limpa. Mudar, depois, é muito mais difícil.
- E a energia a carvão faz tão mal para a população quanto a fumaça que eles inalam no fogo de lenha.
- Ah, eu também acho que plástico deveria ser taxado, sim, porque, mesmo supondo que o CO2 não seja o vilão da história, o bisfenol-A e o lixo plástico que sobram depois são.
- A água dos mares absorve, sim, o CO2, quando o clima está mais quente. E o que acontece? A acidez nos oceanos aumenta. E o que acontece com todos os seres que estão lá? E será que ele está absorvendo na velocidade necessária?
- OK, a porcentagem de carbono na atmosfera é mínima. Mas é um mínimo que estAVA em equilíbrio. Um equilíbrio fino e delicado, que nós quebramos.

Agora porque eu não gostei dos textos:
- T-O-D-O-S muito mal pensados, mal escritos. É típico de quem não quer abrir mão do próprio conforto e prefere pensar que está certo.
- MESMO que o dióxido de carbono não eleve a temperatura, não é motivo para ligarmos o ar condicionado e comermos nossa comida super embalada, porque o lixo também é um problema. A falta de enrgia também. Consumo consciente é a chave, né?
- Siiiim, as plantas absorvem o CO2. Mas peraí, a gente ainda tem tanta planta quanto tinha há 100 anos? Ou minha florzinha da varanda vai fazer o serviço?

A única coisa que eu gostei foi a da possibilidade de o aquecimento global não ser tão problemática.
Quem sabe, não? Claro, a temperatura da Terra tem seus sobes e desces e eu realmente acredito que a raça humana vai chegar ao fim, algum dia. Mas talvez esse dia ainda esteja longe e meus netos estejam a salvo.

Para quem viu, me diga: o que achou?


16 comentários:

Anônimo disse...

Olá..

Eu sou o cara que editou o vídeo. Eu achei aqui, porque o youtube aponta os locais onde o player está incorporado.
Antes de mais nada, até agradeço a divulgação. E embora a maioria dos "ambientalistas" estranhem de cara, depois com um pouco de ciência e bom senso, eles acabam entendendo.

Este vídeo é uma coletânea de 53 minutos, de mais de 6 horas de vídeos. Foi uma apresentação que fiz para a turma da facul, e embora pareça sensacionalista (só no comecinho e no final), quem assiste mesmo, acaba até "dormindo" porque no meio do documentário é pura história e ciência, bem ao estilo discovery channel. Depois eu englobo a questão política e o conflito de interesses envolvidos nisso.
Faltou ainda, no vídeo, as severas discussões de Al Gore e Ron Paul no Congresso, onde Al Gore é acusado de ter participações em empresas que negociam carbono. Faltou eu colocar, quais Cartéis de Bancos internacionais querem controlar os fundos de crédito de carbono. Enfim, se eu colocasse tudo, iria ser massante. E por favor, não reclame: vcs (os que defendem o aquecimento global antropogênicos) vivem apenas de sensacionalismo.

Sou muito preocupado com o meio ambiente. Mas o problema não é CO2, e os DADOS CIENTÍFICOS contidos no vídeos expostos por cientistas (ganhadores de prêmio nobel inclusivo) provam isso, mas sim a produção, a exploração e a distribuição dos recursos naturais nacionais.

Além disso, não vejo como é possível falar em sustentabilidade vivendo sob monetarismo. Ou seja, a idéia de que o lucro é o objetivo de toda a instituição ou pessoa.
Enquanto pessoas estiverem trocando de celular porque diminuiu 1 centímetro, enquanto a mulherada trocar o guarda-roupa porque virou a estação (da moda), enquanto o cidadão trocar a TV porque mudou o formato da borda, enquanto um eletrodoméstico for feito para durar pouco e dar manutenção ou ser trocado, tudo não passa de hipocrisia e eufemismo.

É lógica simples, que os ambientalistas simplesmente ignoram: No monetarismo, o mundo nunca terá oferta suficiente para atender a todos, e mesmo quando tiver, fica barato demais,não dá lucro, já não compensa fabricar, e portanto o povo fica sem o que é bom ;-)
Parece engraçado, mas é isso que acontece...

Anônimo disse...

A gente viu a armação que foi o Acordo de Copenhague e o tal Acordo
Paralelo. Mas a verdade é que criam o "problema" para venderem a "solução" (que normalmente é uma armação)

Pelo que vejo aqui nas minhas estatísticas, 1/4 nem sequer assiste a parte 2.. Normalmente, pelo que vi nas estatísticas, quem assiste a parte 2, assiste o resto..

Mas peço para que você assista o vídeo todo.. tem umas algumas partes chatas (talvez a científica ou histórica).. O que é preciso não é de "ambientalistas" que levantem qualquer bandeira que um salvador proponha , mas sim de bons cidadãos que compreendam seu verdadeiro papel dentro da cadeia social (incluindo as relações econômicas de produção e consumo) e poderem enxergar por si mesmos como os simples hábitos de suas vidas interferem na cadeia de relações globais.

Só para constar. Não sou "playboy", não sou tecnomaniaco, nem defensor da tecnocracia, mas também não defendo o retorno do feudalismo.

Anônimo disse...

Sou a favor da energia livre, mas a verdadeira energia livre, e não essa piada de energia solar...

Dentro das "condições normais de temperatura e pressão" (quero dizer, no atual cenário político do mundo de hoje, e acho que de sempre), a energia nunca será abundante, porque energia é desenvolvimento, e desenvolvimento é poder, e quem está no poder, sempre fará questão de manter-se lá.

Pesquise verdadeiras fontes de energias limpas e ilimitadas, como motores de pulso de equilíbrio. Fusão a Frio induzida, ou até mesmo, projetos de turbinas movidas a vapor com tubulações instaladas em regiões vulcânicas ou subterraneas muito quentes, onde o ciclo de evaporação e condesação da água seriam infinitos... Enfim, idéias não faltam, e com patentes incluisive de antes da 2º Guerra, e tudo muito bem escondido e guardado para que a energia seja cara e reestrita como é hoje


A ingenuidade dos ambientalistas, e claro, de toda a humanidade é o maior instrumento do tirano. A intenção é boa. Mas você realmente acredita que os EUA, com seu longo histórico de usurpações, que nunca foi signatário de Kyoto, que nunca cumpriu ou assinou acordo cooperativo algum, de repente, num ataque de consciência, promovesse Al Gore, lhe dariam um prêmio Nobel e entrariam de cabeça na questão ambiental ?!?
Será que as pessoas não estão vendo que é o "Demônio" se valendo das "Santas Escrituras" ?
A questão do aquecimento Global, está envolvendo trilhões de dólares em regulamentações e taxações de todos os países do mundo, dinheiro este que será deixado nas mãos do Banco Mundial (8 países controlam o Banco Mundial, e todos desenvolvidos.. além disso o Banco Mundial é formado por um Consórcio de Bancos Privados de seus respectivos países).

Não sei se vocês estão percebendo. Mas vocês estão ajudando a fundar uma nova Monarquia, que provavelmente levará a Androgenia. Um império Global, onde pouquíssimas instituições e indivíduos terão controle sobre um mundo inteiro (determinando políticas e normas) vivendo praticamente da mesma forma.
Porque é exatamente isso que as políticas ambientais(não as que vocês desejam, mas as que os tiranos estão aplicando) estão fazendo: criando normatizações e impostos para tudo: agricultura, infraestrutura urbana (até sua casa deverá seguir um padrão de construção, distribuição e espaçamento), mudança de hábitos e costumes regionais, como o que vestir, o que usar, o que comer.

Não reclame se um dia chegarem ao ponto de taxarem um imposto sobre seu filho (um emissor de CO2); ou se te proibirem de cultivar uma horta(já que planta emite CO2 e é taxada, e sua horta não está dentro da lei, e para estar dentro da lei tem que pagar imposto e usar sementes de plantas geneticamente modificadas para emitir menos CO2, e estarem certificadas pelo ministério da agricultura); ou mesmo se te reestringirem a praticar esportes (já que vc emite mais Co2).

E não ria, porque isto já está acontecendo. Imposto de Co2 ja foi implantado na França, e já está sendo discutido imposto para natalidade por lá.
Sarcosi ainda diz que vai fazer lobby na UE para forçar todos os países que tem relações comerciais com a UE a adotarem as medidas de imposto se quiserem continuar o comércio... Enfim, a taxação virá pela força.

thais disse...

Anônimo, só para começar, eu NUNCA mencionei AL Gore como sendo um exemplo. Também não sou a favor da volta do feudalismo (aliás, da onde veio isso?), achei a COP uma tremenda palhaçada.
Mas eu sou a favor do controle de natalidade, sim, sem dúvida!
EU não gostei do vídeo, mas vi inteiro. Demorei 2 dias, mas vi. Como eu disse, não tenho como saber quais dos dois lados está certo. E também eu nunca fui muito neurótica com o CO2, desculpe. Eu apago as luzes, uso pouco o carro, não como carne e tudo, mas não é pelo CO2. Nesse aspecto, acho que só eu, realmente, não faço diferença nenhuma.
Já deixei anotado para pesquisar sobre a "verdadeira energia limpa". Pode deixar que vou ver, sim.
E o primeiro comentário ficou completamente confuso para mim. Desculpe, mas não consegui entender.
E, para terminar, não sou ambientalista. Só gosto do assunto, acho importante.

Espero que você continue colocando seus pontos de vista, porque é bom ter alguém discordando para eu conseguir ver de outros ângulos. Se quiser, pode ser e-mail. tha.saito@gmail.com

thais disse...

Ah, esqueci! Queria saber porque a energia solar é uma piada!

Cássio disse...

Vendo a foto aqui.. o motor não era do tamanho de um motor de geladeira... parece um botijão de gás doméstico.. :-)

Cássio disse...

Que porcaria ... meu ultimo post não saiu...

Eu disse pra vc pesquisar 2 carinhas no youtube.. Lou Bits e John Christie que eles fizeram um dinamo de ponto de equilibrio que gerava energia suficiente para manter uma casinha...

OLHA NA MINHA URL QUE É A PAGINA DELES.

Tiraram o video do ar(huahua e acho que não precisa nem dizer o porque).. mas o dínamo é do tamanho de um botijão de gas.

No video a equipe de reportagem fez a notícia com os técnicos de uma universidade atestando a eficiência
e mesmo a veracidade(ninguém acreditava) do aparelho, que realmente funcionava.

Um dinamo de ponto de equilibrio é um dinamo que gera mais energia do que gasta.

Cassio disse...

CONSEGUI RECUPERAR O POST.. HIHAUI

Olá Thais...

Não sou anonimo porque se vc quiser tem meu nick no documentário :-).. é que não tenho conta aqui no blog então jogo anonimo.

O primeiro comentário, me fala o que vc não entendeu que eu explico.
Se é com questão ao monetarismo, em resumo: enquanto a regra for o lucro, nada será para o bem da humanidade, pois o que é bom não dá lucro porque não gera custo.

Concordo que você não falou de Al Gore... Mas minha professora de Meio Ambiente citou esse safado (literalmente... político dos bem corruptos) o semestre inteiro. E me parece que aquela porcaria de documentário dele é a única referência que ela tinha, e mesmo que a grande imprensa cita.

Também sou a favor do controle de natalidade, mas acho que isso deveria ser um atitude consciente... Não gostaria de ter de pagar imposto para ter um filho.

Energia solar é piada porque ela é limitada (sim, aqui na terra é, porque temos a noite e as nuvens) em comparação com as tecnologias que eu mencionei por exemplo. E se for para fazer mega-projetos faraônicos (como o absurdo de paineis solares no espaço por exemplo), acho mais viável tentar investir no projeto das tubulações em grandes profundidades, por exemplo.

Acho um disperdício empatarem bilhões de dólares em desenvolvimento de algo menos eficiente do que os conhecidos dinamos mecânicos que geram energia (ou por vapór de usina térmica nuclear ou carvão, ou por energia mecânica hidrica)...

Pesquise sobre energia gradiente de Henry Moore, ou as patentes de Nikola Tesla, T. Brown (não é Von Brown), Ludwik Kowalski e Richard Slaughter..

Vou citar 1 caso bem recente.. Pode procurar até no youtube. Em 2002(acho.. nao lembro direito), Lou Brits e John Christie fizeram um dínamo de pulso de equilibrio do tamanho de um motor de geladeira capaz de gerar 700 watts/hora (não lembro também se era esta potência, mas era o suficiente para manter uma casa de 5 ou 6 comodos)... Criaram um modelo realmente funcional... E precisariam apenas de 500 mil dólares para iniciarem a produção em larga escala... Sabe o que fizeram ? sumiram com eles.. Sabe o que é um dínamo de ponto de equilíbrio ? é um motor/dínamo que se auto sustenta, e gira pra sempre... Isso é pesquisado desde o século XIX, existem vários métodos e a coisa ficou possível hoje graças aos atuais imãs de neodimio que geram campos magnéticos altíssimos. Pode ter certeza que se isto estivesse sendo comercializado , eu venderia meu carro, compraria uns 2 ou 3, ligaria-os em série, compraria um carro elétrico, e nunca mais pagaria gasolina e conta de luz ou sofreria apagões.
Nada impediria esses caras produzirem uma versão de motor maior, para manter um Hospital, ou um trem, por exemplo.

Sua preocupação é louvável e pode ter certeza que estou do seu lado.. A única diferença entre nós, é o mundo que enxergamos. Não sei se você só vê um problema no método em si, mas eu vejo um problema de sistema no todo praticamente.

Existe um problema ambiental sim, mas está mais ligado as formas de relação de exploração e consumo dos recursos existentes do que com o sub-produto(co2) de sua utilização.

O que as políticas ambientais estão a promover é o congelamento da exploração dos recursos ambientais, que por questões da globalização, fizeram com que muitos países pobres que estão se desenvolvendo, passassem a explorar seus recursos por si próprios. E isso óbvio que vai contra os interesses corporativistas dos países ricos, que além de manterem um cartel de exploração, controlam o preço regulando a oferta.

O papel deste meu documentário é apenas alertar as pessoas a quem estamos ouvindo.

Lembre-se de Maquiavél ou Thomas More: Todo o grande rei precisa de um grande inimigo, e é somente pelo medo que ele governa.. O medo de uma ameaça é a única forma de um povo pedir pelo rei e permiti-lo implantar todo o totalitarismo e autoridade sob justificativa.

thais disse...

Cassio, antes de tudo, quero te agradecer pelo número de informações. Acho que se você tivesse um site ou um blog seria bem mais interessante que o vídeo.
Concordo com quase tudo o que você disse. Eu também não concordo com 90% da política ambiental que existe, assim como não concordo com 99% da política atual (de qualquer área).
INfelizmente, eu não posso fazer muito, além de pesquisar, fazer a minha parte e mostrar que cada um fazendo sua parte, a gente faz bastante.
Só acho que, por enquanto, se não se tira do bolso da pessoa, a maioria das pessoas não se importa. Então, se é para ter um controle, ele precisa ser legal. EU acho que deveria ser obrigatória a separação do lixo, o uso consciente da água, o controle da natalidade e tudo. E olha que eu tenho 3 filhos.
Já comecei a ler o site. Quando os monstrinhos dormirem, leio mais. Estou achando bem interessante.

Cassio disse...

Pois é..Hoje tenho 32 anos, e pesquiso patentes e energia livre desde os 16.
Esse documentário só saiu porque era um trabalho de faculdade que fiz obrigado à revelia... Não tenho mais saco para esse tipo de "panfletismo".

Acredito que seja jogar pérolas para porcos.

Só procura a verdade quem é capaz de enxergar a mentira. E a mentira é tão grande que as pessoas não conseguem perceber que estão no centro dela. E quem vive no centro da mentira, e não tenta sair de seus limites para enxergar o que há por trás, jamais conseguirá indentificá-la.
É mais o menos como o Mito das Cavernas de Platão. E se eu tentar alertar alguém que está no meio da mentira, serei eu o visto como mentiroso.


Eu sou contra taxações porque a culpa não é nossa e nem de nossa ignorância. Acho que os governantes não podem exigir de nós o que eles não nos dão. Ou seja, não nos dão opções.
As empresas de alta-tecnologia praticam supressão tecnológica para a cada ano ter sempre um novo lançamento. Tudo bem, você não troca, mas chega uma hora que ele é incompatível.
Motor a combustão interna é obsoleto a quase 100 anos, e já é quase conhecimento popular que o carro a água não existe porque as indústrias não deixam...
Eletricidade ilimitada e grátis, nem se fala, é tentado desde 1900, e patentes não faltam (tem patente até para tirar energia até de ondas de rádio vindas naturalmente do espaço). Mas sempre teve uma gigante como a General Eletric ou White&Westinghouse para impedir.
Poderíamos, com invenções de 1900 a 1914, banir os fios de transmissão façe da terra e tornar eletricidade patrimônio da humanidade.
Se eletricidade ilimitada fosse disponível, não teríamos mais problema com clima ou fome (pois poderíamos manipulá-lo com ionização atmosférica por plasma, por exemplo, e é apenas um dos métodos) e leveríamos a chuva onde bem fosse.
Com patentes de 1929 (de capacitância assimétrica), numa rede elétrica "wireless" global, que mencionei, poderíamos ter veículos anti-gravidade, que se moveriam praticamente sem nenhuma peça mecânica.
No último século, nenhum governo fez nada quanto a isso, e agora eu ou você temos que pagar pelo ganho de poucos ? E estou a falar apenas das tecnologias de infraestrutura de base.

Quem teria que mostrar isso é a imprensa (que claro, vive de seus patrocinadores, que são as mesmas corporações que causaram todos os problemas que querem que NÓS sanemos).
Mas não, o que é notícia é a cadelinha que salvou a criança do pit bull; é o ator hollywoodiano que veio passar as férias aqui no Brasil; é a Copa do Mundo; é o novo carro da Ferrari na F1, e mais uma infinita lista de frivolidades. E apara piorar, tudo que é de inútil, oneroso para produzir e "descartável" é colocado como símbolo de statuo quo.


Agora. Será que a culpa é minha ou sua, se quando precisamos nos locomover 100 km para concorrer a uma entrevista de emprego, ou atender um cliente, só tenho a opção de utilizar um motor a combustão interna ?
Ou se para avisar que vou me atrasar por causa do transito de SP, ter de usar meu Celular com bateria de Lítium ?

Seria muito mais interessante para meu bolso(o ambiente seria consequencia) se eu pudesse ter um carro elétrico e meus dínamos de ponto 0 em casa, ou mesmo no carro.

Então por que taxar a nós ? Sim porque qualquer taxação na cadeia de produção, quem sempre paga é o consumidor final. Só que dessa vez é pior porque não teremos opção. Não há nada para substituir o plástico que seja mais barato que ele, ou o papel.

Cássio disse...

O Estado deve intervir no mercado sim, mas não para prejudicar o povo
e sim o objeto de sua regulação: o mercado. Então, que o plástico seja banido. Os motores a combustão também. Que de agora em diante os Bancos só dêem dinheiro a quem for pesquisar e lançar tecnologias de longa vida útil e de baixo consumo.

O que tem que acontecer de verdade, é algum país botar essas tecnologias em prática. E isso só será possível utilizando a força do Estado(que em teoria não é para ter interesses comerciais e lucrativos) nem que seja debaixo de uma Revolução ou Guerra. Porque não devemos esperar nada das empresas além da busca pelo lucro.

Não vejo expectativas para mudanças porque as pessoas ainda estão enxergando superficialmente e combatendo consequências. Me parece que estão todos a seguir o Flautista de Hamelin. E na hora que enxergarmos realmente a raiz do problema, só haverá liberdade debaixo de muito derramamento de sangue.

Cassio disse...

E se quiserem algum detalhe sobre as tecnologias que mencionei, me procurem no youtube.

saudações

thais disse...

Cássio, desculpa, ainda não consegui ler nem um quarto daquele site sobre o gerador.
EU ainda acho que, se houvesse a taxa, talvez a gente levantasse a bunda do sofá e fosse exigir objetos melhores, mais limpos e ecológicos. Enquanto nós não formos obrigados a mudar, a lutar pelo que a gente MERECE, a gente não vai conseguir.
Não adianta eu, você e mais meia dúzia de pessoas quererem um carro elétrico e o tal do dínamo de energia (que eu ainda não entendi direito para saber se eu quero) se a maioria das pessoas prefere o comum, o normal, o mais fácil.
Aqui no Japão existem os carros híbridos (mais ou menos) e os carros elétricos, que ainda estão em teste. Isso no país da caça às baleias.
Veremos onde isso vai levar.

Cássio disse...

Será Thais ?!?


Até hoje todo o tipo de dinheiro ou fundo advindo da "desgraça" alheia que vi na vida, só serviu para alimentar os Grupos de Interesse... Não foi a tôa que Hitler proibiu todo o tipo de ganho de dinheiro advindo do prejuízo do Estado, onde era dever do Estado saná-lo, do contrário, aquele que ganha dinheiro com a desgraça, quer que a desgraça perdure.

Eu te pergunto o seguinte. Como um simples exemplo: a partir do momento em que o Banco Mundial e todas as instituições Jabutis de Árvore do Global Warming estiverem vendo centenas de bilhões de dólares em seus cofres, somente advindos de impostos de motores à combustão, e uma empresa apresentar um tecnologia que aboliria estes motores, você acha que essa tecnologia viria a tona facilmente ?

Oras, as indústrias automobilisticas não deixam seus concorrentes emergirem por causa do DINHEIRO, e não por causa que eles tem um produto melhor.

O mesmo será com MAIS UM Grande Grupo de interesse envolvido na jogada faturando bilhões com a "desgraça".

Pense bem nisso...

thais disse...

Sério! EU acredito no poder da pressão pública! Acredito de verdade. E nem acho que seria desgraça taxar, por exemplo, o plástico, que além de ser completamente descartável, demora séculos para se decompor e ainda libera toxinas desde a produção e mesmo depois de decomposto.

Sinceramente, não acredito que nenhum dinheiro seria bem usado. E também não acho que esse dinheiro deva ir a um banco específico. Acho que o dinheiro deveria ficar onde ele foi colhido e ser usado na melhoria de vida da população.
Mas como isso não vai acontecer.... nunca!.....

Rosana Oshiro disse...

Caramba! Demorei mas li tudo que vcs falaram...
Tambem não concordo com a taxação.
Penso que tudo o que vivemos, fazemos, comemos é imposto pelo governo.
Acha que a população mundial vai se rebelar contra o governo por causa de taxação? Mas taxação do que a que já existe?
Sempre me lembro do filme 10,000AC quando penso nessas questões.
O povo é 99% um bando de ovelhas, marionetes, que não faz nada pelo mundo, pelo outro, muitas vezes, nem pelo seu proprio filho.
Soldados matam gente, como se não fossem gente, porque? pelo dinheiro, por interesses dos grandes...
Tive um professor de Ambientalismo que dizia que as boas idéias que realmente seriam viáveis para o povão eram arquivadas porque não davam lucro para o governo.
Me sinto como diz a musica: Se correr o bicho pega e se ficar o bicho come.
É a (triste) realidade!
beijo Tha e obrigada pelo debate!

Seguidores